Dez 2012 – México e Panamá(11ª Viagem)

Diário de Bordo – Viagem México e Panamá – Dezembro de 2012

mex 12 1

Viajantes: Leandro, André, Érika, Léia, Mário, Lili, Osni, Vitória, Marcos e Marcus Augusto.

A viagem começou antes de começar, descobri uma travessia em Cancun, 10 dias antes de nossa viagem!!!
A segunda sorte foi que a localização de nosso hotel, era a apenas 3 km do local da Travessia.

Alguns encontram erros de português, outros se motivam para a próxima viagem…..

O dia zero (somente chegada) – 30 de novembro de 2012

Dia 30 de novembro às 8 horas, encontro no aeroporto de São Paulo. A base do time já era familiar, Osni e Vitória partiam para a sexta viagem conosco, Lili e Mario segunda viagem e muitas Travessias, Leandro segunda viagem também muitas Travessias. Os novos eram, André, no entanto por ser amigo do Leandro e já ter acompanhado algumas travessias, já era da casa, Érika do Rio de Janeiro, logo se integrou ao grupo! A unidade e afinidade ficou evidente antes mesmo do embarque!!!
O primeiro e mais longo dos voos até a Cidade do Panamá para uma escala, foi tranquilo e “sem buracos na estrada”!
Logo pegamos a conexão para Cancun!
Chegada tranquila no excelente aeroporto de Cancun.
Uma plaquinha com meu nome, lá estava sustentada pelo simpático Abel, também conhecemos senhor Miguel, dono da empresa de transporte. Do Aeroporto fomos direto para o Hotel, passando pela espetacular Zona Hoteleira de Cancun.
O hotel era novo pra nós, sempre é uma duvida, apesar de ter sido recomendado!
A expectativa positiva se confirmou, um hotel simples, com um ótimo atendimento, com ótimas instalações, a poucos metros da praia e as margens da Lagoa Nichupé. O hotel conta com uma excelente marina.
A fome era grande, parte do grupo foi para um “ boteco” , quem escolheu sopa, não foi feliz, mas o Marcus Augusto se deu bem com o burrito, que acabou sendo o melhor de toda a viagem!!! A outra parte do grupo foi ao mercado Oxxo, uma rede de pequenos mercados que estão em todo o México!

Primeiro dia – 1 de dezembro de 2012

Acordei às 6h da manha, fui correndo até o local da Travessia, porque não tínhamos muitos detalhes sobre a prova. Assim que cruzei a ponte sobre a barra da Lagoa Nichupé, vi um robalo (peixe) de aproximados 1 metro, logo pensei em meus amigos pescadores, Valdinei, Serginho e José Daniel. Essa é uma das máximas da pescaria, quando não estamos preparados aparecem os maiores peixes. Logo cheguei na Playa Tortuga, não existia nenhum indicio de Travessia, mas logo chegou o Abel, cubano radicado no México, um dos organizadores do evento. Informações confirmadas voltei pro hotel de ônibus, no simples mas eficiente sistema de transporte coletivo. Como todos os países civilizados, não existem mais cobradores, o motorista é responsável pela cobrança.
Todos já tomando café para participarmos da primeira edição do Caribbean Open Water. O Osni e a Vitória foram caminhando pela espetacular orla de Cancun, o restante do grupo foi de ônibus.
Um evento com uma estrutura simples, sendo realizado pela primeira vez, esse mesmo grupo realiza outras Travessias na Península de Yucatan, região sudoeste do México onde estão localizados 3 estados, Quintana Roo, Yucatan e Campeche.
Eles fizeram provas de 1500, 3000 e 5000 metros. Nosso grupo além de ser a atração do evento, acabou ganhando os primeiros lugares geral no 5000m com o Leandro e a Érika, e os primeiros lugares em suas respectivas categorias, Osni e Mário, alem do reforço no staff, comigo e a Léia pilotando um dos caiaques.
Como sempre os simpáticos mexicanos, nos deixaram muito a vontade, outro amigo deixado no México foi Rafael, nadador, filho de um nadador Olímpico mexicano, também um dos organizadores do evento. Confirmamos a data para 2013, esse evento será uma semana antes do Maraton Guadalupano em Acapulco, podemos então repetir a dupla jornada em 2013, com 2 travessias no México.
Conversei com eles sobre os detalhes do maior evento organizado por eles, que acontecerá em maio, uma espetacular prova de 3 e 10 km, um grupo já se prepara para participar dessa prova.

Comemoramos nossa inesperada e excelente participação em um restaurante a beira mar, bem próximo ao local da Travessia.

mex 12 2

O Osni e a vitória foram mergulhar, uma de suas novas paixões!

Relato do Osni sobre o mergulho: – Á tarde eu e a Vitória fomos mergulhar nos arrecifes bem na frente de Cancun. Increible! Águas cristalinas com mais de 30m de visibilidade. Muuuuuitos peixes de várias espécies. Uma tartaruga enorme resolveu brincar com as bolhas do nosso scuba e ficou vários minutos nadando sobre nossas cabeças. Inesquecível.

mex 12 3

Nos fomos para Isla Mujeres de Ferry, alugamos carrinhos de golf, e percorremos toda a ilha, foi muiiiiiiiito divertido, com direito a ultrapassagens, informações equivocadas para o outro carrinho tomar a direção errada e muito mais!!!
Visitamos o Templo da Deusa Ixchel – Localizado no ponto mais elevado da Península de Yucatán, onde os deuses Maia cuidam do Mar do Caribe.
Na Cultura Maia, Ixchel é a deusa da Fertilidade e dos códices, representava a lua, esposa do sol, associada com a procriação. Ixchel foi a principal deusa Maia. O templo é bem pequeno, provavelmente são as menores entre todas as ruínas maias. Já ao entardecer, estacionamos os carrinhos em um supermercado e tomamos um café da tarde!!!!
No momento de entregar o carrinho, avistamos o ultimo ferry para a Playa Tortuga, saímos todos correndo em poucos minutos, estávamos todos dentro do Ferry, ufaaaa!!!

Todos de volta ao hotel, banho tomado para a night de Cancun. Gongo Bongo era nosso destino, caminhamos pela Zona Hoteleira, escolhemos um restaurante e experimentamos as iguarias mexicanas, um dos cremes colocados a mesa, derrubou alguns de nossos viajantes, uma pimenta extremamente forte, cujo efeito durava pelo menos 20 minutos, ahhhhhhhhhhhhhh!!!! O Bongo era quase sempre pronunciado de formas diferente, desde “coco loko” até “congo mongo”, os colegas que foram no show, disseram que é espetacular, uma mistura de Circo de Soleui com dança!

Palavras do Osni: ” Estamos em nossa segunda viagem ao México. É um país muito interessante. A viagem é para nadar, aprender e divertir. Não necessariamente nesta ordem. Aliás, cada um de nós dez escolhe a ordem que quiser. Somos de sete de Florianópolis, dois de Curitiba e uma do Rio de Janeiro. O Oxxo, um mercadinho, que tem quase tudo o que é necessário para sobreviver. Em minha opinião lá tem o melhor cappuccino que eu já tomei.”

Segundo dia – 2 de dezembro de 2012

A descoberta da Travessia em Cancun, me fez quebrar a cabeça para encaixar o roteiro, já que as passagens já estavam compradas.
Nosso destino era Tulum, deixamos o Osni e a Vitória no Cenote Dos Ojos, para fazer o primeiro mergulho em caverna.

Palavras do Osni: – Nossa guia foi Monica uma mergulhadora experiente e muito gentil que ajudou na nossa iniciação nesta modalidade que é uma das mais arriscadas e impressionantes atividades humanas. O visual dentro da caverna e com a entrada dos raios do sol cria efeitos muito especiais.

Nos seguimos para, deixamos as bagagens na Pousada, tomamos café em um simpático e pitoresco lugar e fomos para as ruinas. Uma rápida e especial visita as ruinas que estão a beira mar, aprendemos que os maias inventaram o zero e faziam contas com um sistema vigesimal.
Na saída do parque, pegamos uma inesperada e refrescante chuva de verão, o Osni a e Vitória já estavam na Van.
Em meia hora, estávamos no portão do Xcarret, um espetacular parque temático Maia. Nossa primeira aventura foi descer um rio com snorkel, mascara e pés de pato. Uma grande e tranquila aventura, achei dois brincos de perolas “super verdaderias”. No fim do percurso é possível ver muitos peixes do Mar Caribe, como dizem os Mexicanos. Nossas mochilas com todo nosso material, chega organizadamente no fim do percurso.
A fome era grande, escolhemos, entre os seis restaurantes do Xcarret, o que estava na beira da praia, com todos os frutos do mar, realmente uma comida digna de um Rei Maia. Nos espalhamos pelo parque, não conseguimos ver todas as atrações, as 20h, nos encontramos todos no grande espetáculo, contando toda a historia do México, desde antes da chegadas dos invasores espanhóis, até os dias atuais.
O destaque foi o Juego de La Pelota, ou jogo de bola em português, um jogo praticado pelos maias, tivemos a oportunidade de ver o jogo ao vivo!!!!!!
Cansados e felizes fomos para nossa morada, uma pequena e simples posada em Tulum.

Terceiro dia – 3 de dezembro de 2012

Acordamos cedo, ainda em função da Travessia de Cancun, mas tudo estava valendo a pena, opinião unanime.
Já tínhamos feito tantas coisas que parecia que estávamos juntos a muito tempo!!!!!!! O consolo é que o fuso horário nos favorecia, porque no Brasil eram 4 horas adiantado, acordar as 6 horas, significava efetivamente as 10 horas.
Passamos no Oxxo, que em espanhol a pronuncia fica “ocxo”, as muitas brincadeiras do Mario, transformaram o nome do mercado em “ locha” ( prefiro não explicar o que significa). Compramos café no locha, e veio a ideia de pararmos em um lugar especial, as 7h estávamos a beira mar em Tulum, tomando um inesquecível café, regado ao nascer do sol no Mar Caribe!!!

mex 12 4

Nosso destino era Chichen Itza, talvez a mais espetacular das cidades Maia, onde, foi feita a grande profecia que dizia que ontem, dia 21 de dezembro de 2012, o mundo acabaria!
Ufa Passamos!!!!
Escolhi um simpático senhor, seu Andrés, descobri que ele foi um dos primeiros guias do parque, estava a 35 anos conduzindo curiosos com suas belas historias!!
Uma das historias ficou um pouco controversa, sobre quem eram os sacrificados, a versão mais forte é que eram os que usavam roupa azul, como entre nos estava um morador de Palhoça, torcedor de um time de azul, tivemos a certeza que essa era a versão real!!!
O nosso amigo guia, nos tranquilizou, sobre a versão do fim do mundo, quem inventou essa historia foi um norte americano!!!

Após nossa ultima atividade cultural na Península de Yucatan, fomos nos refrescar no Gran Cenote, também conhecido como Ik Kil, uma grande cratera alagada com agua cristalina, saímos com a agua lavada e enxaguada, dessa espetacular visita!!!! Um almoço em um ótimo restaurante sugerido pelo amigo Abel, foi nossa ultima parada antes da viagem para o Aeroporto de Cancun. Voo suave e chegada a cidade do México, para nossa primeira noite na cidade dos Astecas.

mex 12 5

Quarto dia – 4 de dezembro de 2012

Acordamos mais tarde, de metro fomos para o espetacular museu de Antropologia. Uma ampla ideia da historia da humanidade na visão cientifica, como imagens, fosseis e muitos utensílios, dos antigos povos que habitaram o México. O destaque é a Lucy, uma replica perfeita da primeira ossada de um Australopithecus afarensis, encontrado na África, recebeu esse nome, porque o cientista que encontrou estava escutando a musica dos Beatles, “Lucy in the Sky with Diamonds”

Após a aula fomos dar um passeio pelo Zocalo, como os mexicanos chamam o centro histórico de suas cidades. Fim de tarde, seguimos viagem para Teotihuacán, com a uma grande expectativa de um voo de balão inédito para quase todos, somente a Léia, tinha voado na Capadocia. O simpático Antônio nos levou para um agradável hotel próximo ao parque Arqueológico.

Quinto dia – 5 de dezembro de 2012

Conforme combinado, as 6h:30m da manha, o pessoal que nós contratamos para o voo de balão, estava na recepção do hotel. Fomos divididos em 2 grupos, André, Érika e Leandro, foram para o Balão do Comandante Paco, eu, Léia, Marcus Augusto, Lili, Mario, Osni e Vitória, fomos no balão do Comandante Ozires. Eu a Vitoria e o Leandro, tínhamos preparado uma surpresa…..
Cada grupo foi levado com nossos respectivos balões para o local de decolagem, com possantes caminhonetes, que custam um terço do preço do Brasil!!!
Na lista das roupas estava um roupa para um leve frio na Cidade do México, mas o amanhecer em Teotihuacan estava muiiiito frio!!!Mas, o frio contrastava com e expectativa e as belas imagens do enchimento dos balões!
Assim que entramos no balão, o calor do gás queimado nos esquentou!!!!
Fiquei com medo nos primeiros metros da subida, me posicionei no meio do balão para não olhar pra baixo, mas a medida que o balão foi flutuando, com o silencio quase absoluto, só quebrado com o acionamento eventual do gás!
Quando o outro balão ficou bem próximo ao nosso o Leandro tirou a faixa de aniversario do Osni, foi uma linda homenagem da Vitória, a choradeira foi geral!!!! Realmente muita emoção, o Osni, além de completar seu aniversario nas alturas, ele e a Vitória completam 6 viagens comigo!
O voo de balão, juntamente com nadar com golfinhos em Roatan, foram as mais espetaculares experiências em todas as viagens!!!!
Avistar as Pirâmides de Teutihuacan , do alto é uma visão para ficar na memoria pro resto de nossas existências.
Um pouso bem suave, nos deixou são e salvos em terra firme! Eu ainda não tinha certeza, mas parece que tínhamos um café da manha incluído no pacote, fomos outra vez com as caminhonetes até um simples e agradável lugar, onde nos serviram um excelente café da manha, cantamos outro parabéns pro Osni. As surpresas não acabaram por ali, nos levaram para a sede do aeroclube, onde nos foi contado a historia do balão e fizemos um brinde, com champanhe e recebemos nosso certificado!!! Despedidas emocionantes, os amigos do balão gentilmente nos levaram até o hotel, recolhemos nossas mochilas e nos deixaram na porta do parque arqueológico!!!!

mex 12 6

Eles ainda sugeriram um guia, que foi muito eficiente e simpático. O ponto alto da participação dele foi quando um vendedor amigo dele, fez um desenho utilizando tintas naturais, como por exemplo, vermelho feito de cochonilha. Após subir a pirâmide da lua, fomos para a pirâmide do sol, mais alta, vi uma senhora chorando copiosamente, perguntei se ela precisava de ajuda, disse que sim! Depois percebi que o ditado, pra baixo todo santo ajuda, não vale para Teotihuacán, o problema é que os degraus são irregulares e ingrimes, e só são percebidos durante a descida! Eu ajudei uma senhora e o Mario e a Lili, ajudaram as outras duas, pelo que deu pra entender, elas são da Letônia e moram na Alemanha.
Literalmente missões cumpridas, fomos almoçar!!!!

Palavras do Osni:  “Estava muito frio e nós fomos para o local de onde decolam os balões e presenciamos toda a preparação para o voo. Balões cheios, decolamos. A sensação é indescritível. “Voar sem asas” é o lema dos baloeiros locais. Era dia do meu aniversário e a Vitória tinha preparado uma surpresa. No outro balão na nossa frente abriram uma faixa com uma carinhosa homenagem. Foi uma choradeira. Até o Carpano(apelido de um de nossos companheiros, não podemos dizer quem é…) chorou! Acho que foi a melhor surpresa de todos os meus aniversários. Pena que acabou o voo. Poderia fazer aquilo o resto do dia.”

Ano passado tínhamos, pelo menos eu e o Osni, ficado com vontade de comer escamoles, o “caviar mexicano”, larvas de formigas, por respeito a amiga Cristiane, não. Comemos!
Experimentamos a iguaria, não tem gosto de muita coisa, valeu para entrar no currículo de comidas exóticas!!!
Um cantor mexicano cantou a musica Mañanitas, musica de aniversario dos mexicanos, mas uma choradeira!!!
Um grande dia, com muitas emoções e conquistas!
Voltamos para a Cidade do México de ônibus e depois de metro, um dia para ficar na memoria de todos!!!

mex 12 7

 Sexto dia – 6 de dezembro de 2012

Uma das atrações que tínhamos deixado pra traz na primeira viagem era Xochimilco, conhecida como a Veneza mexicana. Trata-se de uma região que era um lago e há milhares de anos os habitantes locais foram aterrando e criando pequenas ilhas, as chinampas, para cultivar principalmente flores. Atualmente virou uma atração turística principalmente para mexicanos de outras partes do país. Nós fomos de metrô e trem e ao chegarmos já fomos abordados pelos muitos agenciadores que nos ofereciam passeios de barco. Escolhemos um e fomos em um tour tranquilo e silencioso pelos canais. De repente tudo mudou. Muitos barcos bem enfeitados apareceram tocando música mexicana bem alta. Havia pessoas comemorando o aniversário, dançando, bebendo e cantando. Também apareceram barcos com vendedores de comidas, bebidas e todo todo tipo de bugigangas. Era uma festa de sons e cores. Ficamos quase duas horas por ali.
Voltamos com a certeza de que a Veneza mexicana é muito mais animada que a original na Itália.
Ahhh! Xochimilco, graças ao divertido e criativo Mario, mudou de nome, para os 10 viajantes virou para o restos de nossas vidas, CHOCOMILK!!!!(risos)
Na volta, fomos visitar a basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira do México, afinal nós só estamos aqui por causa da travessia de natação que é feita em sua homenagem, o Marathon Guadalupano.
Dona Cida, vizinha e mãe de um amigo de infância, tinha contado parte da historia, eu fui conferir em loco, a outra parte do surgimento da Virgem de Guadalupe. O parque onde esta a basílica vale a pena conhecer, além da antiga basílica, uma construção bem torta a olhos vistos, por ser construída sobre um terreno instável, e do novo santuário, uma impressionante construção sem colunas centrais, tem ainda um belo jardim!
Antes da volta ao hotel, tivemos tempo de dar uma passada no mercado de artesanato da Cidade do México que também é um espetáculo de variedades e cores. Vários de nós aproveitaram para comprar os presentes do tradicional amigo invisível.

mex 12 8

Sétimo dia – 7 de dezembro de 2012

As 6 da manha, todos despertos, as 7 horas, malas na recepção, café da manha e partimos em direção a Acapulco. Antes do destino final, passaríamos em novos destinos, Cuernavaca e Taxco. O Palácio de Cortez, hoje um grande Museu, que conta a historia do Estado de Morelos, e a catedral, são as principais atrações da cidade colonial de Cuernavaca.
Já a cidade de Taxco, é uma cidade com predominância de suas casas brancas, encravada nas montanhas, reconhecida como a capital da prata mexicana, uma igreja em estilo barroco também se destacam, na cheia de escadas, e ladeiras, Taxco!!! Um dos 36 povos mágicos do México!!!.
De Taxco, seguimos direto para Acapulco, logo na chegada no hotel um clima de Travessia, centenas de nadadores, estavam no hotel para a retirada de kits, rever os amigos, Lenin, Roberto e Victor,bagagens nos quartos, fomos direto tomar um banho na água quente do Pacifico norte!!!

mex 12 10

Oitavo dia – 8 de dezembro de 2012

Dia da prova de 1000 metros, o café foi no “locha”, fomos de taxi para a Playa Caleta. Uma enseada bem pequena que serve de chegada para as provas de 1000m do Maraton Guadalupano. Estabelecemos nosso QG ali e alugamos uma canoa para ir para a ilha de onde dá a largada. Eu fui remando, os Osni, a Lili e o Mario Barwinsky foram tripulantes! Por sorte a quantidade de “águas malas” era mínima, em relação ao ano anterior! O primeiro a largar foi o Osni, logo em seguida o Mario e a Lili. Uma de minhas missões nessa viagem era acompanhar a Lili, durante a prova, não foi fácil pra ela, a corrente estava bem forte, mas ela conseguiu! Antes da partida para a largada, conversamos, eu o Leandro e Érika sobre a tática de prova, já que a correnteza estava forte, acabou dando certo, os dois ganharam suas categorias. Fizemos uma festa no pódio. A Léia comandou o “mãos lá em cima!” Fotos com as bandeiras do México e a do Brasil fizeram sucesso.
No final da tarde fomos ver o espetáculo mais tradicional de Acapulco, os Clavados de La Quebrada, como sempre estava eletrizante. Os meninos, um de seis anos, mergulham de um rochedo em um espaço reduzidíssimo entre as pedras com uma profundidade de apenas uns 5 m. Depois, hora de dormir, no outro dia haveria os 5000m.

mex 12 11

Nono dia –9 de dezembro de 2012

Uma bela prova de 5000 metros, esperava o Leandro, a Érika e Osni. Aluguei um barco pescador, um velho lobo do mar, uma pequena canoa de fibra, o eu não sabia era que a mulher iria junto, ou seria o Robson Crusoe e sua Sexta feira. Acompanhamos o Osni durante todo o percurso, eu coloquei o relógio com termômetro na agua, a temperatura estava em 31.1 graus, o mais incrível foi o pescador dizer que estava ruim de peixe porque a agua do mar estava muito fria. As perguntas que o velho lobo me fazia me chamou muito a atenção, perguntas do tipo:
– O Brasil fica perto do Canada¿
– O Brasil tem mar¿
– O Brasil tem ilhas como La Roqueta¿
Chegamos ao fim todos sãos e salvos, o Osni com um ótimo 7º lugar na categoria, Leandro em segundo e Érika em primeiro. Despedidas do amigos mexicanos,partimos para a Cidade do México.
Assim que chegamos, procurei informações sobre “Lucha Livre”, muito popular no México, fomos em uma das arenas, chegamos a tempo para ver uma das lutas, sabemos que é tudo combinado, mas os lutadores são muito fortes e muito habilidosos.

mex 12 13

mex 12 12

mex 12 14

Décimo dia – 10 de dezembro de 2012

mex 12 16

Acordamos as 6 horas, o plano era, ir fazer o cheking no aeroporto, voltar ao hotel, para tomar o melhor café da manha do mundo, desde feijão até frango ensopado estava no menu do cafézão! Deu certo, alguns, fizeram de conta que era hora do almoço e almoçamos. Embarcamos para o Panamá. Uma Van com uma moça de guia nos esperava no aeroporto, pelo atraso da hora, não podemos os passeios, deixamos as malas na recepção e fomos para o Albrook Mall, o maior Shopping do Panamá. A noite no hotel fizemos a revelação do amigo invisível, muita diversão e mais uma choradeira, pra varia né Osni¿(risos) Um grupo muito unido, parecíamos todos amigos de uma vida!!!!

Décimo primeiro dia – 11 de dezembro de 2012

A principal atração do Panamá, o fantástico canal, estávamos com sorte durante toda a viagem, também durante a visita ao canal, vimos o ultimo navio que passaria durante a manha!! Visitamos o Casco Viejo, a antiga Cidade do Panamá, e alguns pontos de destaque da cidade. No fim da parte histórica, fizemos as ultimas comprinhas, cada um que chegava na van, trazia suas conquistas, a curiosidade foi, eu comprei um emblema do Panamá para o Leandro e ele comprou um igual pra mim!!! Mas a barganha da rodada quem conseguiu foi o Osni, que comprou uma Land Rover zerinho por U$37,00!…
Calma pessoal, era uma bota!!!!
Um tranquilo voo de 7 horas estávamos no Brasil.

Dia 0 somente retorno – 12 de dezembro de 2012

Palavras do Osni: “ Chegamos bem e já estamos preparando a próxima, para a Turquia em 2012.”

Durante toda a viagem, lembramos das colegas da primeira viagem ao México, Cristiane e Roberta!!!!

Colaboração de Osni Jacó da Silva

Próxima viagem ao México e Panamá, dia 19 de julho de 2013

Uma opinião sobre “Dez 2012 – México e Panamá(11ª Viagem)”

  1. Por isso, que quando começo a ler, paro – mais a curiosidade é grande…e volto a ler…problema é querer ir…então..vamos ver o que faço para ir em 19/07/2013 – Mais ainda querendo Costa Rica e Roatan, vou voltar lá…
    Ps…Turquia não é em 2013?
    Falou…
    Jeferson

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Travessias, Viagens e Caminhadas

%d blogueiros gostam disto: